Resultado reagente: e agora?

0
16

Não é fácil receber um resultado Reagente para HIV! É comum, inicialmente, sentir tristeza, medo, insegurança, culpa. Apesar dos enormes avanços relativos ao tratamento, que diminuíram sensivelmente a chance de adoecimento e que tornaram o HIV/Aids uma infecção crônica, ainda é comum sua imediata associação com a morte.

Infelizmente, muitas pessoas que vivem com HIV ainda precisam enfrentar preconceitos na família, nos grupos sociais e inclusive junto aos serviços assistenciais, o que dificulta a revelação e o compartilhamento de seu diagnóstico, levando-as, com frequência, ao isolamento social e à dificuldade de iniciar novos relacionamentos afetivos e sexuais. A vivência de conflitos e de situações de constrangimento e o desrespeito aos seus direitos de cidadania acarretam baixa autoestima e perda de sua identidade social e psicológica, levando-as, frequentemente, a sofrimento psíquico, que não raras vezes demanda atenção profissional.

Uma adequada revelação de resultado ao paciente, acompanhada de acolhimento e aconselhamento, que proporcione o esclarecimento de suas dúvidas em relação ao HIV/Aids e seu tratamento, mas também o apoio emocional que precisa, é fundamental para o enfrentamento de seu diagnóstico, deste tratamento, assim como para sua adesão. É necessário, neste momento, proporcionar à pessoa o tempo necessário para assimilar o impacto do diagnóstico e expressar seus sentimentos, em especial os que associam HIV/Aids com culpa, punição, rejeição e morte. E isto é possível graças ao vínculo de confiança e à qualidade do acolhimento, que inclui a disponibilidade de atendê-lo toda vez que sentir necessidade, até se efetivar seu encaminhamento ao serviço de saúde que será encarregado do seu tratamento. Além disso, são de grande importância o estímulo à manutenção de uma rede de apoio constituída por amigos, família e grupos comunitários constituídos de pessoas que vivem com HIV.

A maioria das pessoas acaba adaptando-se à realidade de viver com HIV e à necessidade de seu tratamento constante e, não raras vezes, usufruem positivamente dessa experiência, da qual saem mais fortalecidos, na medida em que descobrem seu próprio potencial de superação e ressignificam seus relacionamentos, valores e projetos de vida!

Jenny Milner Moskovics
Doutora em Psicologia e psicóloga junto ao SAE Santa Marta (Prefeitura Municipal de Porto Alegre)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here